14 maio 2017

Bocuda

Se tem uma coisa que preciso praticar nesta vida, é arte de falar menos.Não consigo e ainda por cima vivo me metendo em problemas por conta disso.

No trabalho algumas pessoas me detestam.Direito delas,mas tive minha parcela de culpa nesta história.As pessoas comentam coisas comigo e sempre fico nessa de colocar minha opinião, deixar claro o que penso.Ingeunidade ou burrice mesmo, porque pessoas distorcem e transmitem como elas querem.E daí tenho que lidar com o ódio dos outros.

Mas eu peco mesmo, é quando falo sem me pedirem opinião.Essa coisa de parecer legal, de querer puxar assunto.Eu já deveria respeitar minha natureza a esta altura do campeonato.Introspecção.Gosto de conversar mas dou mais certo estando quieta com fones de ouvido.Mesmo.Hoje , dia das Mães, meu irmão comprou flores para minha mãe.Ela sempre falou preferia ganhar outras coisas, porque flores murcham e acabam no lixo.Jamais deu a entender que sempre sonhou em ganhar isso.Aí quando ele me encontrou com o buquê nas mãos, eu disse:

- Ela vai odiar.Se você tivesse dado um perfume, ela ficaria mais feliz.

De fato ela ficaria mais satisfeita.Falei porque por ser meu irmão e conhecê-la,ele deveria saber.Mas quem deu esta maravilhosa de ideia de compra foi a CUnhada, recém chegada e certa de que conhece a sogra melhor que todos.Beleza.Achei que o assunto morreria dentro do carro.Quando chegamos em casa,adivinha o aconteceu? Meu queridíssimo irmão, na frente de todo mundo relatou a conversa que tivemos minutos antes e minha mãe lógico, negou tudo .Fiquei como a mentirosa,né?

Acho que tem situações na vida que precisamos passar para tomar vergonha na cara e mudar.E eu vou mudar.Está na hora :/

Ao som de : Warm Water - Banks

23 abril 2017

13 anos

Depois que me recuperei do "toco",encarei a realidade de que não, não preciso ficar me rastejando por ninguém que não se mostra interessado por mim.Não quer, não quer.Também não sou assim?

Daí que esta semana, eu tenho que fazer avaliação física.Aquele procedimento CHATO das academias, de deixar um profissional da área tirar suas medidas e concluir o que precisa ser perdido ou ser ganho.Mas quem faz o programa de treinamento é outro profissional.E lá tem dois.Um, que é super mal educado, e já ouvi de fontes seguras que é metido ,por ter uma condição financeira maneira ( o que já está totalmente descartado por mim), e o outro, é o dito cujo que me recusou no Facebook.Sim, o mesmo que nem posso ver de longe, que já fico toda arrepiada,com vontade de morrer. É uma piada de muito mal gosto, só pode.

Aí estou aqui paranoica.Será que ele se lembra de mim? Será que ele imaginou que eu o adicionei porque estava afim dele ( o que é uma verdade) e estava querendo dar mole? Tem gente que acha super normal adicionar sem intenção alguma, mas né...Será que ele já percebeu os olhares que eu dei todas as vezes que passava por mim, mesmo não encarando diretamente? Uma vez ele me pegou olhando,abaixei a cabeça rápido,mas será que notou ?Ai meu Deus, estou enlouquecendo...

Estou me sentindo com uma adolescente de 13 anos.Quem aguenta?

Ao som de : If It Makes You Happy - Sheryl Crow

19 abril 2017

Mais mimimi

Há exatos 10 anos, eu me apaixonei por alguém que não correspondeu aos meus sentimentos.Na época ,pela idade e inexperiência, culpei a criatura,afirmando aos quatro ventos que ELE era quem não prestava.Isso é uma verdade,mas isso não justifica o fato dele ter me rejeitado.Aconteceu dele simplesmente não estar afim de mim.Acontece com todo mundo e é direito da pessoa escolher com quem quer ficar.Normal.

Apesar de ter doído horrores,achei que com o passar dos anos eu lidaria melhor com rejeições.Existe alguns posts perdidos por aí, que provou que não.Mas ainda sim, eu estava esperançosa de agora, neste exato momento, estar mais madura neste sentido.Não só não estou , como regredi 10 anos.Olha só, que lindo!

Novamente a história se repete: fico afim de cara gatinho, amiga dá força pra adicionar no Facebook, adiciono e sou IGNORADA.Acabo ficando na merda me sentindo a pior das criaturas,a mais feia,a mais desinteressante do planeta.

É isso.

Ao som de :Longe de você - Charlie Brown Jr.

15 abril 2017

Ridículo

Amores platônicos são maravilhosos e patéticos.Maravilhoso, porque você pode idealizar a vontade.Patético, porque né, sábado à noite,você  está ouvindo uma música pensando na criatura, enquanto neste exato momento, possivelmente ele está nos braços de outra.

A que ponto o ser humano chega...a que ponto EU cheguei...

Ao som de : The Game Of Love - Michele Branch & Carlos Santana

01 janeiro 2017

sobre 2016

Sempre reclamo que este blog vive abandonado.Espio várias páginas e sempre me surpreendo com a capacidade das pessoas de mantê-las sempre atualizadas.Não consigo.Já desisti faz tempo.Não acabo com  ele, porque volta e meia sempre passo aqui para ler meus textos.Ver se alguma coisa mudou.E bem,2016 foi um ano que algumas coisas mudaram.Poucas,na verdade.

Apesar de muitas pessoas reclamarem bastante dele, eu seria muito ingrata se achasse que foi ruim.Foi um ano mediano.No quesito dinheiro,foi difícil para mim como foi para todo mundo.A crise veio e está aí.Mas apesar do emprego ser uma merda, ainda posso me dar o luxo de dizer que ainda o tenho.O salário esteve lá no quinto dia últil certinho.Muitas pessoas nem isso tinham.Saúde, bem, mais um ano que não procurei nenhum médico para ver se estava tudo bem.Como posso ser tão desleixada com minha própria saúde? Dos males o menor.Peguei Zica.Deu um pouquinho de trabalho, mas tudo terminou bem.Em compensação, gatos e cachorros me arrancaram litros de dinheiro em veterinário.Gastaria o dobro se fosse preciso.

Amor ,segue na mesma linha.Jamais irei arrumar ninguém.Negativa? realista. A pessoa nunca namorou nesses 26 anos, não vai ser agora que vai. Paz,bem, onde moro é um lugarzinho bem complicado.Baixada Fluminense geralmente é mais abandonada que o restante do Rio.Teve inúmeros dias que tive que ligar para alguém aqui de casa ir me buscar no ponto de ônibus, porque rolava boatos de "carros pretos" estuprando mulheres.Fora assaltos perto de casa.Foi um ano em me obriguei a sair com celular dentro da bolsa, não porque precisaria usá-lo,mas porque o cidadão que fosse assaltado e não tivesse nada de interessante para o assaltante,era agredido fisicamente.Sim, o cúmulo do absurdo.Um ano em que constatei que as notícias que geralmente assisto na TV, poderiam acontecer comigo.Fiquei com muito medo.

Harmonia, well,voltei a falar com meu irmão.Ninguém pediu desculpas um ao outro, mas serviu para acabar com o clima tenso que sempre ficava  quando nos encontrávamos.No trabalho, passei muita raiva com algumas pessoas ( ainda passo).Constatei que não importa se você é legal,basta as pessoas não irem com a sua cara, que tudo vai desandar.E na real, parei de sofrer com isso.Aprendi que o mundo não gira ao meu redor.Chega de querer ser amiga de todo mundo.

No fim foi isso aí.Posso chorar pitangas? melhor, não.Eu tenho é que ficar grata pelo o que ainda tenho.

Ao som de : I don't live forever - ZAYN feat.Taylor Swift